ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Estratégias práticas de triagem sequencial contingente de síndrome de Down.

Estratégias práticas de triagem sequencial contingente de síndrome de Down.



Para projetar e avaliar o desempenho de protocolos de rastreamento síndrome de Down contingente seqüencial que podem ser implementadas na prática.
Protocolos foram concebidos em que todas as mulheres recebido no primeiro trimestre de medição de TN (NT), juntamente com soro materno gravidez associada plasma proteína-A (PAPP-A) e quer livre beta-ou total de gonadotrofina coriónica humana (hCG). As mulheres com limite baixo riscos síndrome recebeu acompanhamento soro materno no segundo trimestre envolvendo duplos, triplos, quádruplos ou marcadores de triagem de soro: alfa-fetoproteína, livre beta-hCG ou total de estriol, não conjugado hCG e inibina-A. Gamas específicas de riscos foram utilizados para definir o grupo limítrofe. Protocolos distintos foram desenvolvidos para o Reino Unido e Estados Unidos para refletir as diferenças nos testes comumente usados, cut-offs, ea idade gestacional no momento do teste. Taxas de detecção e falso-positivos taxas foram estimadas por modelagem multivariada gaussiana com simulação de Monte Carlo.
Protocolos propostos com base no primeiro trimestre NT, PAPP-A e beta-hCG livre ou total hCG, seguido pelo uso seletivo do segundo trimestre de marcadores quádruplos pode resultar em uma taxa de 91% de detecção e de 2,1% de taxa de falso-positivo para o Reino Unido e uma taxa de detecção de 89% e falso-positivo taxa de 3,1% para os Estados Unidos. Para ambos os países, mais de 60% das gravidezes afectadas seria detectado no primeiro trimestre e menos do que 20% das mulheres exigiria um segundo trimestre-Down avaliação do risco síndrome. Uso de alternativa cut-offs para definir aqueles com riscos limítrofes ou diferentes combinações de marcadores no segundo trimestre também rendeu altas taxas de detecção e de baixa taxas de falsos positivos.
Com orientação adequada do paciente, deve ser possível fornecer altamente eficaz de Down síndrome de triagem usando contingentes protocolos seqüenciais.


Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16049988

VEJA TAMBÉM:

  • Rastreio no primeiro trimestre de trissomias 18 e 13 com o uso combinado dos Algoritmos de Risco para Trissomia 21, 18 e 13.
  • Rigidez arterial materna em gestantes portadoras da pré-eclâmpsia.


  • Texto Original



    To design and assess the performance of protocols for contingent sequential Down syndrome screening that can be implemented in practice.
    Protocols were designed in which all women received first-trimester measurement of nuchal translucency (NT) together with maternal serum pregnancy-associated plasma protein-A (PAPP-A) and either free beta- or total human chorionic gonadotrophin (hCG). Those women with borderline Down syndrome risks received follow-up second-trimester maternal serum involving double, triple, or quadruple serum screening markers: alpha-fetoprotein, free beta-hCG or total hCG, unconjugated estriol and inhibin-A. Specific ranges of risks were used to define the borderline group. Separate protocols were developed for the United Kingdom and the United States to reflect differences in commonly used tests, cut-offs, and the gestational age at testing. Detection rates and false-positive rates were estimated by multivariate Gaussian modelling with Monte Carlo simulation.
    Proposed protocols based on first-trimester NT, PAPP-A and free beta-hCG or total hCG, followed by selective use of second-trimester quadruple markers can result in a 91% detection rate and 2.1% false-positive rate for the United Kingdom and a detection rate of 89% and false-positive rate of 3.1% for the United States. For both countries, over 60% of affected pregnancies would be detected in the first trimester and less than 20% of women would require a second-trimester Down syndrome risk assessment. Use of alternative cut-offs to define those with borderline risks or different combinations of second-trimester markers also yielded high detection rates and low false-positive rates.
    With appropriate patient counselling, it should be possible to provide highly effective Down syndrome screening using contingent sequential protocols.


    VEJA TAMBÉM:

  • Revista de Ressonância Magnética Cardiovascular 
  • Aplicações práticas da ergoespirometria no atleta / Practical applications of cardiopulmonary exercise testing in athletes