ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Rigidez arterial materna em gestantes portadoras da pré-eclâmpsia.

Rigidez arterial materna em gestantes portadoras da pré-eclâmpsia.



A pré-eclampsia (PE) é caracterizada por uma adaptação materna aberrante cardiovascular a gravidez e aumento do risco cardiovascular mais tarde na vida. O objetivo deste estudo foi comparar as reflexões de ondas maternos e rigidez arterial em mulheres com PE estabelecida e aquelas com gravidez normotensos, após ajuste para fatores de confusão sistemática conhecidos. Este foi um estudo transversal envolvendo 69 normotensos, mulheres grávidas e 54 mulheres com PE estabelecida. Reflexão de ondas materna (índice de aumento) e velocidade de onda de pulso das partes carótida-radial e carótida-femoral da árvore arterial foram avaliados de forma não invasiva utilizando tonometria de aplanação. As medições foram ajustadas para a idade materna, a frequência cardíaca, a pressão arterial média, e o tempo da aorta para a reflexão da onda e expressos como múltiplos da mediana (MoM) do grupo de controlo. No grupo de PE, em comparação com os controles, verificou-se um aumento da velocidade da onda de pulso mediano de ambos carótida para a femoral [1,1, raiva interquartil (IQR) 1,0-1,3 MoM vs 0,9, IQR 0,9-1,0 MoM, P <0,0001 ] e carotídeo e radial (1.0, IQR 0,9-1,1 MoM vs 0,9, IQR MoM 0,9-1,0, P = 0,01) partes da árvore arterial. Em contraste, não houve diferenças significativas entre os dois grupos no índice de aumento mediana (0,9, IQR 0,7-1,1 MoM vs 1,0, IQR 0,5-1,8 MoM, P = 0,46). Em conclusão, verificou-se que o PE estabelecida é caracterizada pela rigidez arterial materna aumento, mas não alterou reflexão de ondas materna.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed?term=Maternal%20arterial%20stiffness%20in%20pregnancies%20affected%20by%20preeclampsia.

VEJA TAMBÉM:

  • Materna sem soro beta-hCG em 10 a 14 semanas de gestação em trissômicas gestações gemelares.
  • Soro materno alfa-fetoproteína em gravidez normal de uma gestação de 11-13 semanas


  • Texto Original



    Preeclampsia (PE) is characterized by an aberrant maternal cardiovascular adaptation to pregnancy and increased cardiovascular risk later on in life. The aim of this study was to compare the maternal wave reflections and arterial stiffness in women with established PE and those with normotensive pregnancies, after systematic adjustment for known confounders. This was a cross-sectional study involving 69 normotensive, pregnant women and 54 women with established PE. Maternal wave reflection (augmentation index) and pulse wave velocity of the carotid-radial and carotid-femoral parts of the arterial tree were assessed noninvasively using applanation tonometry. The measurements were adjusted for maternal age, heart rate, mean arterial pressure, and aortic time to wave reflection and expressed as multiples of the median (MoM) of the control group. In the PE group, compared with controls, there was an increase in the median pulse wave velocity of both the carotid to femoral [1.1, interquartile rage (IQR) 1.0-1.3 MoM vs. 0.9, IQR 0.9-1.0 MoM; P < 0.0001] and carotid to radial (1.0, IQR 0.9-1.1 MoM vs. 0.9, IQR 0.9-1.0 MoM; P = 0.01) parts of the arterial tree. In contrast, there were no significant differences between the two groups in the median augmentation index (0.9, IQR 0.7-1.1 MoM vs. 1.0, IQR 0.5-1.8 MoM; P = 0.46). In conclusion, we found that established PE is characterized by increased maternal arterial stiffness but not altered maternal wave reflection.

    VEJA TAMBÉM:

  • Perturbação da hematopoiese fetal em um modelo do rato de doença mieloproliferativa transitória da Síndrome de Down.
  • Detecção relacionada à idade e taxas de falsos positivos na triagem da síndrome de Down no primeiro trimestre com translucência nucal e betahCG soro materno livre e PAPP-A.