ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Comparação do novo software RPC com o algoritmo estabelecido da FMF Unido para a detecção de trissomia 21

Comparação do novo software RPC com o algoritmo estabelecido da FMF Unido para a detecção de trissomia 21



OBJETIVO:
O objetivo deste estudo foi comparar o cálculo do risco recém-desenvolvida pré-natal (PRC) de software e do estabelecido Fetal Medicine Foundation (FMF) algoritmo do Reino Unido para a sua detecção e falso-positivos na triagem pré-natal de trissomia 21 ou 18/13.
MÉTODOS:
Translucência nucal foi medida pela FMF certificados sonographers em 39.004 gestações. Riscos para trissomia 21 e 18/13 foram calculados em conjunto com soro PAPPA e beta-hCG livre em todos os casos. No geral, 109 casos de trissomia 21 e 39 casos de trissomia 18 ou 13 ocorreu. As taxas de detecção foram calculados para todos os 109 trissomia 21 casos usando tanto RPC e Astraia, software baseado no algoritmo oficial do Reino Unido FMF. A taxa de falso positivo foi calculado com base em todos os casos para Astraia 39004 e na base de 3620 novos casos de RPC. A comparação dos algoritmos foi realizada pelo cálculo do receptor-operating characteristic (ROC).
RESULTADOS:
As taxas de detecção de trissomia 21 para a 5% de taxa de falso-positivo foram 91% (99/109) para RPC e 90% (98/109) para Astraia. A diferença não foi significativa. Análise da curva ROC mostrou uma área sob a curva (AUC) de 0,976 e 0,975 para a RPC para Astraia (p = 0,80). Em um ponto de corte de 1:300, RPC mostrou um pouco (nonsignificantly) maior, mas a taxa de falso-positivo não significativa (3,8% para Astraia, versão desde 2005, de 5,1% para PRC) associada com um pouco (nonsignificantly) maior, mas a detecção não significativa taxa de 91% (PRC) versus 88% (Astraia). A taxa de falsos positivos do risco bioquímico (sem NT) em RPC foi significativamente maior (17,7%) do que com o algoritmo UK FMF (9,0%) a um ponto de corte de risco comum de 1:300. A razão para as altas taxas de falso-positivos em RPC pode ser o que faltava para correção de peso materno, tabagismo, e etnia. As taxas de detecção de trissomia 18/13 em um corte risco de 1:150 foram de 79% para China e 77% para Astraia. Falso-positivos para trissomia 18/13 em um ponto de corte de 1:150 foram de 1,5% para China e 0,6% para Astraia (diferenças não foram significantes).
CONCLUSÃO:
Para uma taxa de 5% de falso-positivo, o software detecta como novo RPC muitos casos, trissomia 21 e trissomia 18/13 como os algoritmos estabelecidos do Reino Unido FMF. A fim de reduzir a taxa de falsos-positivos para o risco bioquímico, o algoritmo do software RPC devem ser redesenhada para incluir o peso materno, tabagismo da mãe, e a etnia.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=%22Comparison+of+the+new+PRC+software+with+the+established+algorithm+of+the+FMF+UK+for+the+detection+of+trisomy+21+and+18%2F13.%22

VEJA TAMBÉM:

  • Soro materno alfa-fetoproteína em gravidez normal de uma gestação de 11-13 semanas
  • Triagem para restrição do crescimento pré-eclampsia e fetal pelo Doppler das artérias uterinas e PAPP-A em uma gestação de 11-14 semanas.


  • Texto Original



    OBJECTIVE:
    The aim of this study was to compare the newly developed Prenatal Risk Calculation (PRC) software and the established Fetal Medicine Foundation (FMF) UK algorithm for their detection and false-positive rates in prenatal screening of trisomy 21 or 18/13.
    METHODS:
    Nuchal translucency was measured by FMF-certified sonographers in 39,004 pregnancies. Risks for trisomy 21 and 18/13 were calculated together with serum PAPPA and free beta-hCG in all cases. Overall, 109 cases of trisomy 21 and 39 cases of trisomy 18 or 13 occurred. The detection rates were calculated for all 109 trisomy 21 cases using both PRC and ASTRAIA, software based on the official algorithm of the FMF UK. The false-positive rate was calculated on the basis of all 39,004 cases for ASTRAIA and on the basis of 3,620 additional cases for PRC. The comparison of the algorithms was performed by the calculation of receiver-operating characteristic (ROC) curves.
    RESULTS:
    The detection rates for trisomy 21 for a 5% false-positive rate were 91% (99/109) for PRC and 90% (98/109) for ASTRAIA. The difference was not significant. ROC curve analysis showed an area under the curve (AUC) of 0.976 for PRC and 0.975 for ASTRAIA (p = 0.80). At a cutoff of 1:300, PRC showed a slightly (nonsignificantly) higher, but nonsignificant false-positive rate (3.8% for ASTRAIA, version since 2005, 5.1% for PRC) associated with a slightly (nonsignificantly) higher, but nonsignificant detection rate of 91% (PRC) versus 88% (ASTRAIA). The false-positive rate of the biochemical risk (without NT) in PRC was significantly higher (17.7%) than with the FMF UK algorithm (9.0%) at a common risk cutoff of 1:300. A reason for the higher false-positive rates in PRC may be the missing correction for maternal weight, smoking status, and ethnicity. The detection rates for trisomy 18/13 at a risk cutoff of 1:150 were 79% for PRC and 77% for ASTRAIA. False-positive rates for trisomy 18/13 at a cutoff of 1:150 were 1.5% for PRC and 0.6% for ASTRAIA (differences were nonsignificant).
    CONCLUSION:
    For a 5% false-positive rate, the new PRC software detects as many trisomy 21 and trisomy 18/13 cases as the established algorithms of the FMF UK. In order to reduce the false-positive rate for the biochemical risk, the algorithm of the PRC software should be redesigned to include the maternal weight, smoking status of the mother, and the ethnicity.


    VEJA TAMBÉM:

  • Aumento soro materno humanos concentrações gonadotrofina coriônica é um fator de risco independente para o SGA em dicoriônicas gestações gemelares
  • Maior precisão de diagnóstico por ultra-som usando marcadores secundários na triagem no primeiro trimestre de trissomias 21, 18 e 13 e síndrome de Turner.